Poèmes

O Lago E a Fonte

par Gleidston César

Me avisem quando a saudade for embora.
Cantarei um cântico a esse amor
Porque dele apenas folhas restaram
E se fizeram lembrança.

Quando olho, vejo-te. Estarás
Saudade, no ar que respiro?
Será você, saudade, que transpiro?

Procuro entre os vales a beleza sensata de ser.
Encontro na curva o lago, na sombra, um
Amor que já durou e hoje, ausente, sente
Que já não é capaz. Capaz?

Sim, capaz de aguentar a ausência da saudade.
Não saio do vale de ser enquanto a saudade
Não desistir de me torturar. Avisem-me
Quando então a saudade for embora.
Alguém a viu partir?

Eu e o vale
A saudade e o lago
O lago e a fonte
A fonte e a luz
E eu ausente no tempo.

Que Pensez-Vous de ce Poème?

Lettre d'Informations

Abonnez-vous à notre lettre d'information mensuelle pour être tenu au courant de l'actualité de Poemes.co chaque début de mois.

Retour au Top